top of page
  • adekat

PAISAGISMO BIOFÍLICO: UMA METODOLOGIA TAKEDA DESIGN


Serena - Mosmann

Em um mundo cada vez mais urbano e acelerado, a busca por uma conexão significativa com a natureza tornou-se uma necessidade fundamental para o nosso bem-estar. Nesse contexto, a Takeda Design criou uma metodologia única chamada “Paisagismo Biofílico”. Neste artigo, exploraremos os fundamentos dessa abordagem e como ela muda totalmente a forma de conceber espaços arquitetônicos.


O primeiro ponto a ser destacado é a diferença entre o paisagismo biofílico e o design biofílico. Ambos os conceitos buscam melhorar a qualidade de vida das pessoas ao trazer a natureza para o ambiente construído. A diferença é que o paisagismo biofílico é o método desenvolvido pela Takeda Design e que é aplicado nesses 33 anos de experiência, aliando os princípios da neuroarquitetura, design biofílico (que é uma vertente da neuroarquitetura), criatividade ágil e vegetação descomplicada.

Porto das Dunas - Moura Dubeux

É uma técnica própria, onde utilizamos conhecimentos científicos destas áreas afins, somados com a nossa experiência e expertise de mais de 30 anos de História para criar algo que seja assertivo, de acordo com o que o cliente deseja e em qualquer localidade. A metodologia que utilizamos para desenvolver o paisagismo biofílico nas áreas externas pode ser aplicada também em áreas internas, na arquitetura de edificações e em projetos urbanísticos.


Essa metodologia é uma jornada que está em constante evolução, aberta a novas descobertas e com um potencial infinito de crescimento. Para isso, diversas ferramentas estão à nossa disposição, para melhor atender o objetivo central, que é gerar bem-estar e uma excelente qualidade de vida para as pessoas. Para tornar tudo mais claro, fizemos um Manifesto do Paisagismo Biofílico, que comunica de forma clara as ideias e os valores detrás desta metodologia:

1. Incorporar elementos naturais no projeto arquitetônico: Tenha em mente que paisagismo vai muito além do jardim e deve incorporar e levar em consideração todos os elementos naturais. Água, fogo, luz, ar e vegetação, cada um exerce uma sensação diferente nas pessoas, então devem ser levados em conta na hora de criar ambientes que proporcionem bem-estar. Nossa missão é abrir espaço para a vida na arquitetura.


2. Vegetação descomplicada: Usar a criatividade para compor a vegetação a partir de suas características morfológicas para depois escolher as plantas certas, com o local e clima ideal para que se tornem vistosas e exuberantes é fundamental. Esta prática além de tornar o paisagismo mais belo e duradouro, gera economia para o cliente e contribui para a sustentabilidade, tendo em vista que a vegetação ideal irá necessitar de menos cuidados para manter-se saudável.


3. Criar atmosferas, ambiências biofílicas: Arquitetura não se resume a construção, as atmosferas criadas também geram beleza, conforto e bem-estar. A atmosfera é composta pelo ar, pelo cheiro, pela luz, são as memórias afetivas, são elementos além do construído que juntos, criam as mais diversas sensações nas pessoas. E a ambiência, por sua vez, deve levar em conta tudo que ative nossos sentidos, e poucas coisas afetam positivamente as pessoas tanto quanto a natureza.

Explore Botanique - GT Building

4. Ser ágil e criativo: O número de soluções geométricas possíveis em um projeto é finito, por isso, buscar a forma mais acelerada e criativa para chegar nas melhores opções e, a partir disso, condensar as melhores ideias em uma proposta final que seja assertiva e de excelente qualidade.


5. Ser colaborativo: Grandes ideias são construídas em conjunto e é por meio desta colaboração que podemos criar ambientes transformadores que beneficiam nossos clientes, os usuários e até mesmo as comunidades em que nossos projetos se inserem.


6. Promover o bem-estar dos seus usuários: Uma constante busca de técnicas, tecnologia, estudos e qualquer material que contribua de maneira positiva na hora de desenvolver um projeto que entregue ambientes de bem-estar para as pessoas.

Parqville Figueira - CINQ DI

7. Projetar com sustentabilidade: Desde a tríade Vitruviana aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, a sustentabilidade é um dever do arquiteto, princípio necessário para a sobrevivência das pessoas e que ocupa um espaço central dentro do Paisagismo Biofílico. Economizar energia, especificar materiais e equipamentos com consciência, recriar ambiências naturais no mundo, reconectar as pessoas com a natureza é fundamental para que todos possamos viver bem.


8. Resolver os desejos dos clientes de forma eficiente e eficaz: Para garantir o sucesso de uma empresa, é imprescindível oferecer um atendimento de alta qualidade, caracterizado pela rapidez e precisão. Busque incessantemente a excelência no atendimento ao cliente, pois isso é fundamental para a longevidade do negócio.


A Takeda Design aplica os itens deste manifesto do Paisagismo Biofílico diariamente e em todos os seus projetos, trilhando o caminho da reconexão das pessoas com a natureza por meio de projetos inovadores. A metodologia do Paisagismo Biofílico é plural, podendo ser aplicada em todos os tipos de espaços, desde residências e escritórios até hospitais e escolas e, em todos estes ambientes, obter resultados positivos na vida das pessoas, através da criação de atmosferas que sejam saudáveis, sustentáveis e agradáveis para todos.



47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page